Vozes ocultas: entre a invisibilidade social e os direitos humanos

  • Luciana Cristina Godoy
  • Gisele Zanardi Polizel Unisal
  • Valéria Oliveira de Vasconcelos

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar os resultados de uma investigação e reflexões sobre alguns saberes, experiências e valores sociais de profissionais que atuam na indústria da carne, exercendo a função de açougueiro. A pesquisa foi desenvolvida como um exercício de pesquisa etnográfica, vinculada à disciplina acadêmica “Educação como Cultura”, do curso de Mestrado em Educação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL), em Americana-SP. A metodologia adotada utilizou técnicas e procedimentos de coleta de dados associados à pesquisa etnográfica. É a interação sistemática de pesquisadores nos espaços de trabalho de cinco açougueiros, a partir da observação direta, de conversas informais, seguidas
da aplicação de entrevistas semiestruturadas. Os resultados indicam que, embora a maioria dos entrevistados declare não se reconhecer socialmente invisível, apon- tando a importância de seus conhecimentos nas práticas sociais, a análise de seus discursos contradiz em alguns aspectos suas falas quando questionadas sobre a forma como a sociedade compreende suas práticas sociais e educacionais. Infere-se que, em decorrência de um modelo civilizatório eurocêntrico-colonial, existe um preconceito velado em relação a essa profissão, o que se evidencia na constituição das subjetividades dos sujeitos envolvidos na pesquisa.

Publicado
02/07/2020
Seção
Artigos