Aos leitores   03/09/2021

Em 2021, o Programa de Pós-Graduação em Educação do UNISAL comemorou seus 21 anos de vida, e tem na Revista de Ciências da Educação um instrumento de disseminação do conhecimento científico na área da educação com ênfase na educação sociocomunitária.

Apesar de toda a situação adversa, 2021 é, porém, um tempo de comemoração para a Revista de Ciências da Educação. No ano de 2000 esta revista começava sua trajetória, fruto do esforço conjunto de alguns docentes do Programa de Mestrado em Educação, empenhados em produzir um periódico acadêmico-científico da área de Educação Sociocomunitária que estivesse aberto à multiplicidade de referenciais de pensamento e de áreas de saber que já caracterizavam a o Programa naquela época. A Revista de Ciências da Educação constituiu-se nesse espaço de produção e de debate de ideias. Neste ano, atingimos o número 48, chegando, pois, a 21 anos de publicação ininterrupta. Um fato a ser comemorado.

No campo da publicação científica e acadêmica os tempos são também difíceis, e lutamos contra muitas adversidades para manter a regularidade e a qualidade da divulgação de parte daquilo que se produz no campo da Educação.

Por muitos anos, mantivemos a publicação quadrimestral, depois trimestral e em 2020 semestral. Dada as dificuldades encontradas com a submissão de artigos, mesmo assim destes 21 anos de existência foram publicados 940 artigos científicos. Claro que esse número de artigos publicados só foi possível porque a revista adotou a publicação exclusivamente eletrônica; se mantivéssemos a publicação impressa, isso seria totalmente inviável.

Mesmo com todo o esforço editorial e o trabalho que decorreram desse significativo aumento, e que exigiram enorme dedicação da equipe editorial que produz a revista, terminamos o ano de 2020 com uma lista de artigos aprovados e que não puderam ser publicados naquele ano. E, como é de se esperar, recebendo contínuas e sucessivas cobranças dos autores que, uma vez tendo seus artigos aprovados, ficam ansiosos para vê-los publicados, muitas vezes sem ter a dimensão das dificuldades de manutenção de um periódico científico em nosso país.

Por essa razão, o comitê editorial da Revista de Ciências da Educação tomou a decisão, no final de 2020, de mudar radicalmente nossa sistemática de publicação. Neste ano de 2021, no qual comemoramos os 21 anos da criação da Revista de Ciências da Educação, passamos a adotar o sistema de publicação contínua. O volume 48 da revista se inicia com um conjunto de 04 artigos e permanecerá aberto, recebendo novas publicações de acordo com nossa capacidade de processamento e editoração. O volume será completado apenas ao final do ano, quando for publicado o último lote de artigos. Esperamos, assim, não apenas atender ao anseio de nossos autores de ver reduzido o tempo de espera de publicação de seus artigos, mas também alimentar de forma contínua a inteligência e a reflexão de nossos leitores.

A Revista de Ciências da Educação do Unisal reafirma também sua posição de publicação de acesso livre, sem cobrança para leitura, bem como sem cobrança dos autores para publicação de seus artigos. Pensamos que esta é a condição para o avanço e a disseminação do conhecimento.

Comissão Editorial

Revista de Ciências da Educação – UNISAL

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Chamada para o Dossiê:  Narrativas de/sobre formação de professores e professoras na Educação de Jovens e Adultos

Nos últimos anos, em especial, o campo da Educação de Jovens e Adultos no Brasil tem vivenciado os seguintes contornos: um quadro de importante retração de matrículas na modalidade em diversas regiões do país; extinção da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão – SECADI, em janeiro de 2019 cujas ações coordenadas eram destinadas à pluralidade cultural que compõe os sujeitos da EJA; ofensiva ao pensamento de Paulo Freire o qual constituí um expoente de produção de fundamentos para a área e aniquilamento de políticas educacionais voltadas às pessoas jovens, adultas e idosas. Esse contexto potencializa o risco ao direito à modalidade, bem como ameaça o seu papel social enquanto educação voltada ao povo, embora a EJA tenha se posicionado como resistência face aos amplos desmandos experienciados, ao longo do tempo na história. Diante disso, os professores e professoras que trabalham na modalidade também experimentam, em seus trajetos de formação e em seus cotidianos, distintas repercussões desse histórico panorama e produzem narrativas no interior dessa conjuntura. Quais histórias são contadas e como espelham o vivido-experenciado nos percursos formativos dos/das docentes? Em posição de diálogo, quais conhecimentos e saberes são tecidos? Quais contra-palavras se apresentam, como possibilidades interpretativas/investigativas? As narrativas, referenciadas no âmbito de suas potencialidades, tendem a suscitar múltiplos discursos exotópicos, polifônicos e democráticos, tão caros aos professores e professoras que trabalham com/na modalidade. 

Com esta proposição convidamos pesquisadores e pesquisadoras que investigam o tema no que tange às narrativas de/sobre formação docente, relevância que se arquiteta tanto pelo reduzido quantitativo de publicações sobre tal abordagem quanto pelo teor consistente que as narrativas impelem às configurações e tratamento das reflexões ao campo. Portanto, o dossiê “Narrativas de/sobre formação de professores e professoras na Educação de Jovens e Adultos” se propõe a reunir textos oriundos de pesquisas,  além de  gerar fomentos de intercâmbios e/ou adensar as experiências formativas em investigação e/ou ensino, tendo como aporte as narrativas, proposição cara ao campo proposto.

Proposta de prazo de submissão de textos: até 15 de outubro de 2021.

Organizadores:

Adriana Alves Fernandes Costa (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ)

Guilherme do Val Toledo Prado (Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP)

Francisco Evangelista (Centro Universitário Salesiano de São Paulo, UNISAL)