Jovens Rurais Assentados e a Ressignificação da Educação Escolar:

Uma Forma De Combate ao Preconceito

Autores

  • Vitor Machado
  • Adaísa Adail Dinalli

Resumo

Este artigo realizou uma pesquisa com seis jovens rurais assentados que estudam em uma escola urbana na cidade de Promissão/SP. O estudo procurou demonstrar de que forma tais jovens resistem ao preconceito que sofrem por alunos e professores ao realizarem seus estudos na escola da cidade. No texto, os jovens rurais assentados são compreendidos pela cultura que possuem e por compartilharem uma diversidade de experiências vivenciadas em um espaço que está em constante transformação, como é o caso dos assentamentos de reforma agrária. Para o desenvolvimento do estudo, utilizamos como método de pesquisa a história oral, o que, além de tornar mais fidedignos os dados coletados, também nos permitiu uma maior aproximação com os sujeitos pesquisados. A pesquisa mostrou a necessidade de superação do preconceito, resgatando a escola como espaço privilegiado de produção e socialização do saber historicamente elaborado e sistematizado pela humanidade. Por meio desse conhecimento, a pedagogia torna-se transformadora e é capaz de ressignificar a educação, contribuindo, significativamente, para a melhoria das relações entre os indivíduos. Mas tudo isso deve levar em consideração a realidade do aluno assentado, para que ele se reconheça também como protagonista da transformação.

Downloads

Publicado

12/20/2021

Edição

Seção

Artigos